Indices para obras de referencia: el caso de la Bibliografía Filatélica Brasileña (BIFIBRA)

Diego Andres Salcedo, Kézia de Lira Feitosa

Resumen


Indica los resultados de investigación desarrollada en el ambiente del Grupo Imago, vinculado al Departamento de Ciencia de la Información de la Universidad Federal de Pernambuco. El grupo está dado de alta y certificado en el Directorio de Grupos de Investigación del Consejo Nacional de Desarrollo Científico y Tecnológico. Tuvo cómo objetivo reflejar, elaborar y aplicar índices para una obra de referencia intitulada ‘Bibliofilatelia: fuentes de información para el estudio filatélico y postal’. Esa obra constituye parte de la Bibliografía Filatélica Brasileña que, por su parte, integra el projeto del Repositório Filatélico Brasileño. De naturaleza exploratória y descriptiva, utilizó como procedimiento metodológico la identificación, recuperación y lectura de bibliografía especializada, por medio de la Base de Datos Referenciais de Artículos de Periódicos en Ciencia de la Información. Identificó escasez de literatura científica sobre el asunto de la investigación. Presenta, como conclusión de la investigación, un grupo de tres índices: onomástico, cronológico y por asunto y colabora, en el escenario nacional, con el debate sobre el papel del bibliotecario en la elaboración de índices.


Palabras clave


Bibliofilatelia; Bibliografía; Bibliografía Filatélica Brasileña; Filatelia; Índice; Repositório Filatélico Brasileño

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


ALTMAN, Dennis. Paper ambassadors: the politics on stamps. London: Angus and Robertson: 1991.

ARAÚJO, Emanuel. A construção do livro: princípios da técnica de editoração. 2. ed. Rio de Janeiro, RJ: Nova Fronteira, 1986.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6034: Informação e Documentação: Índices: apresentação. Rio de Janeiro, 2004.

______. NBR 6023: Informação e Documentação: Referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

BRASIL. Ministério da Cultura. Lei nº 12.343, de 2 de dezembro de 2010. Plano Nacional de Cultura – PNC. Diário Oficial da União - Seção 1, de 03/12/2010. Disponível em: .

CAMPELLO, Bernadete S.; CAMPOS, Carlita M. Fontes de informação especializada: características e utilização. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1988.

CARRIZO SAINERO, Gloria. Las fuentes de información: presente y futuro: algunos apuntes metodológicos. In: CONGRESO UNIVERSITARIO DE CIENCIAS DE LA DOCUMENTACIÓN, 1, 2000, Madrid. Anais... Madrid: Facultad de Humanidades, Comunicación y Documentación, Universidad Carlos III de Madrid, 2000. p. 399-406. Disponível em .

CÓDIGO de Catalogação Anglo-Americano. 2. ed. São Paulo: FEBAB, 1983-1985.

COLLINSON, Robert L. Índices e indexação: guia para indexação de livros, e coleções de livros, periódicos, e coleções de livros, periódicos, partituras musicais, com uma seção de referência e sugestões para leitura adicional. São Paulo: Polígono, 1971.

CUNHA, Murilo Bastos. Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia. Brasília [DF]: Briquet de Lemos, 2001.

______. Manual de fontes de informação. Brasília [DF]: Briquet de Lemos, 2010.

ECO, Humberto. A vertigem das listas. Rio de Janeiro: Record, 2010.

GOMES, Marcos Aurélio; DUMONT, Sérgio Maria Moreira. Possíveis relações entre o uso de fontes de informação e a competência em informação. Transinformação, Campinas, v. 27, n. 2, p. 133-143, maio/ago. 2015. Disponível em: .

GÓMEZ, Maria Nélida González de. Novos cenários políticos para a informação. Ciência da Informação. Brasília [DF], v. 31, n. 1, p. 27-40, jan./abr. 2002.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. n. 999: guidelines for the content, organization and presentation of indexes. Disponível em: .

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

KOCHE, José Carlos. Pesquisa científica: critérios epistemológicos. Petrópolis [RJ]: Vozes, 2005.

LANCASTER, Frederick Wilfrid. Indexação e resumos: teoria e prática. 2. ed. Brasília [DF]: Briquet de Lemos, 2004.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, 2006.

MEYER, Peter. Catálogo de selos do Brasil: 2015. São Paulo: RHM, 2016.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. A memória do mundo na era digital: digitalização e preservação. Vancouver, [BC]: UNESCO, 2012. Disponível em: .

PINHEIRO, Lena. V. R. P. Fontes ou recursos de informação: categorias e evolução conceitual. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, Rio de Janeiro, v.1, n.1, p. 1-5, 2006. Disponível em: .

RANGANATHAN, Shiyali Ramamrita. As cinco leis da Biblioteconomia. Brasília [DF]: Briquet de Lemos, 2009.

SALCEDO, Diego Andres. A ciência nos selos postais comemorativos brasileiros: 1900-2000. Recife: EDUFPE, 2010.

______. Pernambuco nos selos postais: fragmentos verbovisuais de pernambucanidades. Recife: FacForm/Liber, 2011.

______. Bibliofilatelia: fontes de informação para o estudo filatélico e postal. Recife: EDUFPE, 2017. (No prelo).

SCHULTZ, Claire K. Hans P. Luhn: pioneer of Information Science, selected works. New York: Spartan Press, 1968.

SHIRKY, Clay. A cultura da participação. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

SILVA, Maria dos Remédios da.; FUJITA, Mariângela Spotti Lopes. A prática de indexação: análise da evolução de tendências teóricas e metodológicas. Transinformação, Campinas. v.16, n. 2, p.133-161, 2004. Disponível em: .




DOI: https://doi.org/10.5195/biblios.2018.394

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2018 Diego Salcedo, Kézia de Lira Feitosa

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.